sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Natureza Silvestre




Não me perguntem seu nome. Estava a dar uma voltinha com a minha Nina, quando me deparei com esta belezura. Depois de fotografá-la, voltei a casa e muni-me duma pequena pá e trouxe-a para casa. Estava na via pública ao abandono,coberta de outras daninhas e, dei-lhe alojamento. Quanto a água, nada porque o local era completamente seco e arenoso. Penso que fiz a boa ação do escuteiro. Sei que dá flor, pois encontrei pequenasastes que tudo indicam que sim.

9 comentários:

greentea disse...

aqui está uma das muitas manias minhas :
recuperar plantas deitadas para o lixo!
Há tempos vi junto dos caixotes uma "costela de adão" toda esquartejada e atirada para o chão. Não estava muito interessada pois fica muito grande mas falei com uma amiga e ela disse que a vinha buscar. Cada dia que passava aos trioncos e as folhas ficavam mais queimados pelo sol que era abrasador nesse principio do verão.
Resolvi escolher dois troncos já sem folhas mas com um pouco de melhor aspecto e meti-os num balde com água.
Fui-lhes dando atenção e cuidados. Os troncos renasceram e deram folhas. Um deles já está envasado; o outro aguarda q acabem as obras no jardim da minha amiga para seguir o seu destino.

Teria muitas histórias destas para contar... por exemplo , no ano passado o meu marido ia deitar fora umas castanhas que estavam no congelador h´meses. Meti algumas na terra , em vasos, e agora tenho mini-castanheiros que vou transplantar lá na aldeia....

Gostei de vir até aqui!
As minhas desculpas, mas nos blogs trato toda a gente por tu, já que em comum temos todos o facto de termos nascido no século XX!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Um abraço

Espaço do João disse...

Olá Green.
Eu não conheço que espécie de planta será. Simplesmente tive curiosidade e como tal plantei-a em casa nas mesmas condições para ver o que sai dali. Quanto ao tratamento por "tu" podes fazê-lo à vontade pois eu também gosto do mesmo tratamento, somente quando não conheço as pessoas uso essa deferência.Passemos desde agora a usar o mesmo tratamento. um abraço fraterno João.

Cris Bolbosa disse...

Olá João

Não responde aos meus comentários no seu blog!, não sei não! Olhe que eu fico triste, snif, snif...

Agora, quanto à recolha de plantinhas, como estava na via pública, sujeita a ser eliminada, fez muito bem em levá-la para casa. è uma plantinha muito bonita, para o ano, quando der flor, não se esqueça de mostrá-la, ok?

Bjs
Cris

Espaço do João disse...

Olá Cris.
Não fique admirada de não responder aos seus comentários, no entanto estou sempre ao corrente. Já agora:- Os bolbitos que lhe enviei já desabrocharam? Os meus já teem uns 15 cm. fora da terra . Vamos lá ver quem tem primeiro flor. Beijos João

Nelio disse...

essa planta é muito curiosa parece que se auto-protege com as pontas das folhas,será uma suculenta??

rose disse...

Fiquei curiosa ara saber que maravilha é essa. Será uma gramínia?????lindinha...

Espaço do João disse...

Olá nélio.
Esta planta é mesmo uma suculenta. Parece um Aloé em miniatura, somente suas folhas são lisas. No entanto corro o risco de a perder pois ela estava agarrada a areia seca e, pese embora o terreno onde a plantei seja semelhante. A ver vamos... Aquele abraço João,

Espaço do João disse...

Rose.
Não é uma graminea, isso tenho a certeza. Parece um Aloé em miniatura.Se resistir há mudança de residência publicarei em meu blog. Beijinhos de papai João

anete joaquim disse...

Boa sorte com ela, joão, mas há plantas que nascem e se dão bem em locais sem tratamento e morrem quando tratamos delas. Esperemos que não seja o caso.