sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Frézias silvestres noutra posição

Será que com este postal ilucidarei a nossa amiga Cris? Eu sei que estas flores teem origem na África do Sul. Mas como chegaram até cá e viverem no meio silvestre? A verdade seja dita, só a encontrei num lugar. No entanto não tenho conhecimento que o proprietário do referido terreno estivesse na África do Sul, nem nenhum dos seus familiares. Isto em conversa com os próprios que gentilmente me ofereceram estes bolbos.

9 comentários:

Ana Ramon disse...

Olá João. Ainda sobre as lagartas, pode ser que seja imune ao produto dos seus pêlos. As pessoas que conheço são todas alérgicas a elas mas acho natural que haja muita gente que não o seja. Aqui na zona, um madeireiro que andava a cortar pinheiros de cabeça descoberta, caiu-lhe um ninho em cima e ficou cego durante algum tempo. Elas são mesmo perigosas. O João tem muita sorte em não ser alérgico a elas.
Um beijinho e bom fim de semana

Rui Caetano disse...

Um muito bonito quadro natural e bem apanhado. Gosto do estilo do pormenor das cores.

Victor disse...

Amigo João
Bela fotografia com magníficas flores.
Um abraço.

ContorNUS disse...

Obrigada pelas flores... pela partilha ;)

Cris Bolbosa disse...

João, alguns bolbos que hoje crescem silvestres nos nossos campos (por exemplo as Amaryllis belladonas que crescem selvagens nas encostas dos montes na Ilha da Madeira - por gentileza do Nélio vi essas lindas imagens) foram trazidas de Africa do Sul há mais de quinhentos anos. Foi por alturas dos Descobrimentos que os navegadores se encantaram por essas belas flores e trouxeram-nas para Portugal e outros paises. Algumas adaptaram-se tão bem ao nosso clima que hoje crescem sem que ninguem cuide delas, em estado completamente selvagem.
Olhe o caso de uma Sprekelia (mais conhecida por flor de Lys). É nativa do México. Os primeiros exemplares devem de ter sido trazidos para cá há muitos e muito anos. Imagine o percursos que tiveram estes anos todos.O ano passado uma tia minha deu-me uns bolbos que já eram da sua sogra (e a minha tia já tem à volta de 70anos). Se eu lhe dissesse que eram nativos do México ela também me dizia que nunca lá tinha estado e que não podia ser.
Para nós, hoje, é perfeitamente normal ver essas plantas por aqui. Agora imagine a estupefacção das pessoas há 500 anos quando viram essas flores pela primeira vez!

Mas nós, portugueses, também temos as nossas bolbosas nativas, e olhe que apesar de serem na maioria muito pequeninas, são muito bonitas. Dizem que os NArcisos são nativos da Peninsula Ibérica.

Bjs
Cris

Goddess Night disse...

Gosto sempre de vir até aqui, embora o tempo ultimamente seja escasso, mas gosto muito do teu cantinho. Deixei um desafio para o João no meu Blog, se quiser participar terei todo o gosto.

Beijo encantado com mais estas Frézias silvestres.

Goddess Night disse...

João, eu é que agradeço e me sinto honrada, por me receberes de braços abertos como amiga. É um orgulho para mim. O meu pai se fosse vivo teria próximo da tua idade e embora eu já faça parte de uma geração mais previligiada, tenho na memória todos os relatos, das dificuldades que passaram os meus Pais, Avós e Bisavó. Aliás o post, que coloquei "Camponesa", foi precisamente inspirado na minha Bisavó. Compreendo perfeitamente do que me falas. Gosto de falar com pessoas mais velhas, porque têm muito mais sabedoria que eu. E fica a saber, que também gosto de música clássica, folclore Português, etc.
Mais uma vez,o que tem valor para mim é a transparência e simplicidade de algumas pessoas.
Um beijo cheio de gratidão, por mais esta lição de vida.
Boa semana.

OSCONTUS disse...

Olá João!
Tudo bem?
Essas flores são lindas.
O seu site tá o máximo.
Eu escrevi outro conto,confira.
Um abraço!

anete joaquim disse...

Destas nunca tinha visto. São lindas.