domingo, 18 de janeiro de 2009

Nefasto até dizer chega

As imagens que vão ver a seguir, são duma praga que está a atacar a nossa floresta de pinheiro bravo.Se os nossos responsáveis políticos não tomarem medidas sérias e rápidas e,responsáveis, adeus nossa floresta. Temos que fazer todas as pressões e, divulgações possíveis e, imaginárias para que consigamos chegar a tempo de salvar os nossos pinheiros bravos. Lembrem-se que as nossas naus que deram a conhecer novos mundos ao mundo foram construidas de madeira de pinho. O nosso Rei D. Manuel 1º mandou plantar o pinhal de Leiria vendo que era uma mais valia para o nosso desenvolvimento e nossa economia. A doença que está a atacar os nossops pinhais dá pelo nome de Nemátodo dos pinheiros, é um género de escaravelho que põe seus ovos na casca do pinheiro e,depois desenvolve-se uma larva que fura a árvore, que passado dois meses começa a definhar, até secar por completo. A madeira fica toda perfurada e, sem qualquer préstimo para a fabricação de móveis ou para a construção civil. Vamos pois dar as mãos e, tentar por todos os meios ao nosso alcance travar esta praga.

3 comentários:

Benó disse...

Que bom é visitá-lo e receber a sua visita.
É realmente muito bom recordar a nossa infância.
Obrigada por indicar o fornecedor das sementinhas mas tenho a impressão que aqui são capazes de não medrar. No entanto, vou aventurar-me a pedir e depois logo se vê.
Um abraço.

Diabinha Cusca disse...

ximmmmm

Diz lá que não preferias uma "praga de diabinhas" como eu ahahahah

Dama do Lago disse...

Caro João, talvez lhe alegre saber que os nossos cientistas estão a fazer o que podem com os poucos meios de que dispõem. Soube-o através de um amigo que está a tirar o curso de Biologia. Ao que parece, o pinheiro-manso (Pinus pinea) é imune ao nemátodo e os investigadores da universidade andam a tentar descobrir a que se deve essa imunidade. Esperemos que descubram rapidamente porque esta praga, além de ser uma desgraça em si mesma, tem dado muito pretexto a certos interesseiros para cortarem árvores e instalarem campos de golfe, urbanizações e florestas de eucalipto.