segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Lembrar aqueles que tombaram

Sim!
Hoje fui até ao cemitério de Santiago do Cacém, juntamente com alguns ex. combatentes do Ultramar, prestar uma pequena homenagem a todos aqueles grandes Portugueses que tombaram no campo de batalha e, não só. Fomos poucos, mas as recordações foram muitas. Quem se lembra deles? Quem se lembra daqueles que ainda por aí andam, completamente extropiados? Quem se lembra do passado? Quem se lembra dos cobardes, manholas e traidores que hoje teem fortunas incalculáveis à custa daqueles que derramaram seu sangue? Quem se lembra das viúvas e dos orfãos que mal conheceram os pais? Quem se lembra dos pais que perderam seus filhos? Quem se lembra dos sacrifícios passados e das trevas?
Óh tempo, não voltes para trás, mas também não nos deixes nas mãos dos cobardes e traidores ou desertores que nem se lembram das reformas que recebem e, querem chegar aos mais altos cargos da Nação. Meditemos , não permitiremos que esses agiotas, cobardes ou manholas nos amofinem para o resto da vida. CUIDADO, há também imberbes que querem singrar à custa dos incautos. Olho neles, não vos deixeis enganar. O tempo é de promessas e, os falsos profetas estão como os abutres à espera dos cadáveres.
Eu estou com os olhos bem abertos, sugiro que quem me estiver a ler que os abram também.

15 comentários:

M. disse...

Não os posso abrir mais...

O problema deste país é mesmo a falta de memória!

Cada um procura o seu bem estar futuro e ninguém agradece aos que tombaram...

É um país de ignorantes da sua própria história e por isso não a merece!

Podem até tentar ligar o seu nome ao TGV...A hitória rir-se-á deles!

Que não hajam dúvidas!

São disse...

Junto-me à tua homenagem com todo o respeito porq uem tombou em nome de Portugal. Que continua a tratar os seus filhos e filhas muito mal, desgraçadamenet,

Uma boa semana.

TILIDA disse...

Eu lembro-me do que te lembras e dos que te lembras!!!
E junto a minha à tua raiva...
Prometo fazer com que os meus filhos se lembrem também!
Abraço forte porque dado com o coração*

TILIDA disse...

Eu lembro-me do que te lembras e dos que te lembras!!!
E junto a minha à tua raiva...
Prometo fazer com que os meus filhos se lembrem também!
Abraço forte porque dado com o coração*

Anamaria disse...

não tenho o seu sentimento por não ser portuguesa, João, mas entendo pois a falta de memória,infelizmente, não é exclusividade de seu país, aqui no Brasil ela também impera e nos faz sofrer.

Rubi disse...

Paz 'as suas almas!

Fernanda disse...

Amigo João!

Justa homenagem que pelo o amigo faz aqui.
Que país se pode chamar de tal se esquece assim os seus heróis???!!!

Abraço


PS. Brevemente coloco a minha receita de marmelada.
Se tivesse mais tempo abria um Blog só para receitas " As Coisas Da Ná e do João" que tal???

Fatyly disse...

Fui sempre CONTRA a ida de tantos jovens da Metrópole para as matas de Angola, matas que não conheciam e meu amigo...o som da guerra, os gritos deles no hospital militar de Luanda, os tiros, as bombas, o martelar de pregos em caixões que vinham para cá só com pedras, mais tarde o martelar dos caixotes de quem conseguiu trazer alguma coisa...jamais sairam da minha cabeça!

Hoje ainda dói...

Fernando Santos (Chana) disse...

Amigo João, belas palavras...Espectacular....
Um abraço

Clarice disse...

João, quando estudava em colégio de freiras, já havia ummpensamento mais oummenos assim(já se passaram 40 anos): Não procures rastros de anjos por onde passaram homens.
Gratidão e reconhecimento não são fáceis de encontrar.
Abraço.

São disse...

Agradeço que te desloques ao "são"

Um bom final de semana para vós,

Laura disse...

Todos nos lembramos
lembramos o medo
a entrar devagarinho
pela noite
a esconder-se
onde não o pudéssemos ver
apenas sentir.

Todos lembramos os que se foram, os que amamos, que conhecemos, e dentro de nós ficou um pouco de cada um.

Um beijinho da laura

lis disse...

Bom texto Joao
pra que todos reflitam e comecem a perceber o que anda atrás de promessas de campanha eleitoral.

bom sábado, com carinho e abraços

Tite disse...

Amigo,

Já andava alerta mas agora, com tantos avisos - quem te aviso amigo é - garanto-te que não me apanham incauta.

Abraços gratos

Labirinto de Emoções disse...

Belo texto João, muitas lagrimas de raiva derramei, quando no dia 10 de Junho via a colocação das medalhas postumas, como se uma medalha substituisse a perda de um pai, marido, filho...tambem eu tinha um irmão com guia de marcha, que só não foi porque o 25 de Abril aconteceu.
Gostei de o ler, continue.
Um abraço

Labirinto de Emoções