domingo, 24 de abril de 2011

Memórias. Será que alguém as tem? 1974/2011






Como o tempo passa...
Esta não será certamente a contra senha para a actualidade. Talvez o ricochetear de alguns tiritos ??? A esta hora já tudo estava preparado, só faltava a contra senha. Paulo de Carvalho encarregou-se de a enviar.

13 comentários:

M. disse...

Vamos repetir tudo?

Era bom:)

Fatyly disse...

Oh se tenho...apesar de não ter vivido presencialmente o 25 de Abril...lá só no dia 27/28 é que fomos sabendo, mas apesar dos pesares do quadro actual direi sempre: VIVA o 25 de Abril!

Parabéns pelo post e um bom dia.

Beijos

Manuela disse...

Amigo João, é que senha... esta poema, é tão lindo que emociona!

São disse...

Meu querido amigo, neste Dia da Liberdade, te deixo um abraço com cheiro a cravos acabados de colher.

AVOGI disse...

Nao vamos falar de crise , pois não?
poe o cravo ao peito e diverte-te com os ideais que nao sao os mesmos de abril
infelizmente
kis :=(

Cacarol disse...

Eu sei do que falas*

Lis disse...

Oi João
Um dia significativo para os portugueses - a revolução dos cravos - jamais será esquecida haja o que houver.
Obrigada pelo comentário e resolvi fazer um adendo esclarecendo sobre a palavra "sítio" que como tantas outras tem significados diferentes entre os dois países.
Uma boa semana João
com abraços

Hugo de Macedo disse...

Foi um acto de coragem que a todos nos deve orgulhar, de todas as pessoas que participaram nesta revolução.

CF disse...

Qual é a contra-senha de agora? alguém sabe? se não sabem, então não interessa comemorar revoluções mortas... abraço amigo

AVOGI disse...

experiencia era par ver se consigo comentar aqui é que no da celis nao consigo
kis
:=(

Pascoalita disse...

Foi só um ensaio! Estamos a necessitar da REVOLUÇÃO a sério.

jinho

carol disse...

Belíssima esta canção. Tão bem cantada. E tão cheia de significado para todos nós! Foi tudo tão bonito! Tão romântico!
E nada de lamentos, nem de arrependimentos. Valeu a pena, sim senhor!
25 de Abril, SEMPRE!

Tite disse...

Só tenho saudades pelos momentos de emoção que vivemos todos durante um largo período de tempo em que cada minuto do dia tinham notícias para nos preocupar ou, pelo contrário, nos acalmar.


Enfim... hoje os sobressaltos são de outra qualidade, bem inferior por sinal.