segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Vindima





Olá amigos e amigas.
Desculpem não vos ter convidado para a vindima realizada ontem. Foi um dia de grande trabalheira. Fiquei extenuado mas, por outro lado, satisfeito. Foi tudo executado artesalmente desde a apanha até ao esmagamento. Agora está a curtir e, amanhã será o dia da prensagem, também executada por mim. Pese embora o tempo pregasse as suas partidas fiquei satisfeito com a quantidade. Serão 200 e poucos litros deste verdadeiro quinhão dos Anjos.

8 comentários:

rose disse...

Estou orgulhosa por vc, pena eu não provar desse produto feito com tanto esmero e carinho...

Pedro disse...

Ouvi dizer que vindima deu uma trabalheira monumental (ainda bem que eu não estava aí, sempre folgam as costas).

Eu sei, já devolvia a máquina, temos de tratar disso :)

Abraços

Rubina disse...

Muito litro então. Espero que de qualidade :)

Cris Bolbosa disse...

Ainda me lembro da andar a vindimar com o meu avô. E de pisar as uvas. E da adega cheia de barris. Belos tempos, belas recordações.
Essas sepas devem fazer uma bela sombra, para além do vinho, que tb deve ser óptimo.

Nelio disse...

Muito trabalho dá a vindima,eu já passei por isso,tinha que ajudar o meu pai,no inicio corria para ajudar na apanha e na piza da uva,depois se podesse fugia lol gostava mesmo era de beber o vinho logo ao cair no tanque do lagar depois bem já se sabe o resultado que provoca.....lol

anete joaquim disse...

Também vindimei as uvas da minha mãe, mas nunca pisei as uvas. O vinho era feito num lagar de um vizinho. Agora, o que eu adorava era ir à vinha, apanhar um cacho de uvas e comê-lo em seguida.
O João também tem aí muito com que se entreter!

Espaço do João disse...

Este castelo demorou 5 anos a construir, só para se tornar habitável. Depois como era só terra por tudo o que era sítio, foi necessário fazer o resto aos poucos. Ainda falta muita coisa a fazer mas, com calma ou nunca. Não consigo estar parado e,ainda por cima tenho alguns trabalhos extras que me roubam muito tempo.O trabalho nunca me meteu medo mas, já estou a sentir-me cansado.O ser errante também dá origem a fadiga. João.

Espaço do João disse...

Nota importante:- O lagar fui eu que o fiz. A prensa também. Todos os apetrechos iden.Depois de espremida a uva, os gases da respectiva fermentação são expelidos para o exterior para que se não corra risco de intoxicação. Homem prevenido vale por dois.